sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

NATAL NO REINO DE OLORUM

A humanidade estava perdendo a fé, o amor ao próximo estava cada vez mais distante, a natureza estava em total desiquilíbrio, o Divino Criador estava muito preocupado...
Decretou então que todos os Orixás viessem a sua presença urgente.
-O que faremos para que a harmonia, a paz, o amor, a fé sejam novamente morada nos corações de todo mundo?
Cada Orixá deu uma ideia magnânima, eu faço isso eu faço aquilo todas de impossível realização, e assim ficaram horas e horas discutindo, cada um falando que a sua ideia era melhor do que a do outro que o seu poder era maior e assim o tempo foi passando...
De repente a reunião foi interrompida por algazarras, gritos e risadas, acabavam de chegar várias divindades   mágicas todas regídas por algum dos Orixás presentes, os Erês.
E foram logo dando a sua ideia - Pai Olorum que tal montarmos uma árvore de Natal.
Com vários presentes, brinquedo, doces, todos ficariam muito felizes...
Olorum pensou, pensou...- É essas crianças tem muita sabedoria mesmo, vamos enfeitar o Natal da humanidade, esta é uma ótima ideia.
O alvoroço voltou a predominar, os Orixás não concordavam, e indagavam entre si.
- Imaginem os seres humanos não sabem mais qual é o motivo da comemoração do dia 25 de dezembro, Papai Noel, então, nem se fala, árvore de Natal... todos riam muito...
Mas Olorum não se intimidou, e logo decretou que Odé, fosse buscar em suas matas, o mais lindo Pinheiro Natalino que encontrasse. Xangô muito desconfiado foi junto, usaria seus machados se fosse preciso. E assim foi feito.
Enfeitaram o pinheiro com laços, bolas coloridas, as mais lindas que já se viu. Fios de ouro, prata, diamantes... - Mas,,, a árvore de Natal lindíssima, imensa, brilhava muito, e sua beleza ofuscava os olhares  de todos,,, mas,,, mesmo assim faltava algo...
Olorum conversou novamente com todos e decretou que todos se despojassem de algo bem precioso e colocassem aos pés do gigantesco pinheiro.
Bará deixou sua chave, Ogum, sua espada, Iansã deixou a tempestade, Xangô de pronto deixou seus machados, Odé e Otim deixaram seu arco e flecha, Obá, deixou suas navalhas, Ossanhe deixou sua cabaça que continha o segredo de todas as folhas, Xapanã seu xaxará, Oxum seu espelho, Yemanjá, seu abebé, e assim foi, várias nações de Orixás conhecidos, cultuados ou não, seres mágicos da natureza, deixaram também alguns presentes.
-Agora sim a árvore ficou bela!!!.- Falaram todos em conjunto.
Olorum por sua vez olhou,,, olhou,,, e reuniu todos mais uma vez
-Vocês só tem isso para dar? Olhem para dentro de si mesmos, e doem o melhor de cada um, com amor, carinho é disso que realmente a humanidade precisa.
Os Erês logo correram e subiram na árvore, colocaram várias bolas coloridas com alegria, brincadeiras e felicidade.
O Bará também não perdeu tempo, com a sua chave foi abrindo vários caminhos e pendurou na árvore.
Ogum pegou sua espada e imediatamente cortou vários males e também pendurou na árvore.
Iansã, com seus ventos, foi logo levando toda a maldade, injustiças, inimigos, egoísmos. E seus raios iluminavam a árvore como estrelas brilhantes.
Xangô, não quis ficar para traz, e logo foi fazendo vários decretos para que a justiça prevaleça sempre.
Odé e Otim trouxeram muita fartura, moradias, saúde, abertura de bons negócios.
Obá, por sua vez cortou todas as maldades e maus pensamentos.
Ossãem abriu a cabaça dos poderes e as ervas medicinais espalharam-se como uma magia divina.
Xapanâ deixou o poder de cura da alma e do espírito.
Oxum trouxe o amor, comunhão, a afetividade e o dom da recepção.
Yemanjá, teve um pouco de trabalho, mas conseguiu trazer toda a essência de seu mar e ondas, por segundos a árvore ficou completamente iluminada e coberta de pérolas de paz e harmonia, suas águas emanavam o mais puro carinho de mãe.
Oxalá estava em missão importante, pois Olorum havia solicitado que ele fosse muito longe. lá nos fundos dos corações de toda a humanidade e procurasse  a fé, que está sendo perdida.
Vencedor Oxalá veio com os presentes mais pesados e raros para a árvore, todos os Orixás o ajudaram a carregar e energizar tudo.
Ele trouxe a fé, a religiosidade, o otimismo e a perseverança.
Olorum logo colocou a fé no pico mais alto da árvore, e, então o pai da criação lançou sobre a árvore, todo o seu poder mágico, energizando e abençoando todos os seus filhos.
Agora sim, o Natal voltará a ser o mesmo, temos tudo que precisamos, se não tivermos procure dentro do seu coração e com certeza sua árvore de Natal brilhará como nunca e estará bem iluminada por todas as Divindades do Grande Pai Olorum..
Quando for enfeitar a sua árvore, faça como os Orixás, procure dentro de si, o melhor, e, realmente entendam, qual o sentido e o significado do dia 25 de dezembro.


Um feliz Natal e muito Axé para todos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário